quarta-feira, 1 de novembro de 2023

Saúde da coluna após os 50: exames essenciais e as melhores práticas para viver bem

 

Saúde da coluna após os 50: exames essenciais e as melhores práticas para viver bem

Descubra o que sua coluna precisa para mantê-la saudável

À medida que as mulheres atingem a marca dos 50 anos, a preocupação com a saúde da coluna e da musculatura se torna uma prioridade essencial para garantir uma vida saudável e ativa. Mas com a vida corrida da geração Silver, algumas práticas são deixadas de lado como exames fundamentais que todas as mulheres nessa faixa etária deveriam considerar, bem como exercícios que vão manter a coluna em ótimas condições.

“Realizar exames preventivos e adotar práticas de exercícios adequadas pode ajudar a garantir uma coluna forte, prevenir fraturas e manter uma vida saudável e ativa”, explica o cirurgião e ortopedista Maurício Martelletto da Cínica Pró-Movimento, especializada em ortopedia e na saúde da coluna vertebral.

Consultar um profissional de saúde é o primeiro passo para um envelhecimento com qualidade de vida e o ortopedista identifica alguns exames e práticas esportivas que não podem deixar de serem realizadas periodicamente:

Densitometria Óssea: Este exame avalia a densidade mineral dos ossos, fornecendo informações cruciais sobre a saúde óssea. Para as mulheres após os 50 anos, é vital para detectar a osteoporose, uma condição que pode afetar a coluna e aumentar o risco de fraturas.

Avaliação hormonal: A osteoporose está diretamente relacionada com o hormônio estrogênio, e mulheres acima de 50 anos são mais susceptíveis ao surgimento da patologia. A queda brusca dos níveis desse hormônio provoca alterações no processo de remodelação e de reparação óssea. Importantíssimo ter a avaliação de um endocrinologista.

Fortalecimento Muscular: Exercícios de fortalecimento para os músculos das costas, abdômen e glúteos ajudam a suportar a coluna vertebral e a manter uma postura adequada. Ter uma musculatura forte é como construir uma armadura protetora para os ossos, reduzindo o risco de fraturas.

Exercícios de Flexibilidade: Incorporar rotinas de alongamento regularmente pode melhorar a flexibilidade da coluna e reduzir a rigidez. Isso permite uma maior amplitude de movimento e previne lesões.

Atividades de Baixo Impacto: Opte por atividades como natação, caminhadas e ioga, que são gentis com a coluna, promovem a circulação e fortalecem os músculos sem sobrecarregar as articulações. Por exemplo, a natação é excelente para construir músculos e melhorar a densidade óssea sem impacto excessivo nas articulações.

De acordo com o ortopedista, prevenção é a chave para uma coluna saudável após os 50 anos. “Ter mais músculos não apenas ajuda a evitar fraturas, mas também a manter uma postura ereta e uma coluna forte, o que é essencial para a qualidade de vida nesta faixa etária,” diz.

Dr Maurício Martelletto – Ortopedia e Traumatologia CRM:72348/SP SBC:7166 Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia -  Instagram: @clinicapromovimento