Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Toda mulher que menstrua inevitavelmente atravessa o curso natural do envelhecimento, enfrentando a transição do período fértil para o infértil.



A fase de transição para a menopausa, conhecida como perimenopausa, é um período que ocorre ao longo de aproximadamente 5 a 7 anos antes da última menstruação. Durante essa fase, o corpo feminino passa por diversas mudanças, sendo uma das mais evidentes a irregularidade no ciclo menstrual, que pode se manifestar com ciclos mais curtos (com menos de 23 dias) ou mais longos (com mais de 40 dias), conforme explicado pela ginecologista obstetra Loreta Canivilo.

A menopausa representa o estágio na jornada da mulher em que a menstruação cessa naturalmente devido à interrupção da produção dos hormônios femininos pelos ovários. “Esse período é oficialmente reconhecido quando a ausência consecutiva da menstruação se estende por 12 meses. Geralmente, isso acontece entre os 45 e 55 anos, assinalando o término da capacidade reprodutiva”, explica Dra. Loreta.

No entanto, é crucial ter o conhecimento dos sinais que indicam o início dessa fase, assim como compreender alguns dos sintomas predominantes e as opções de tratamento. Isso se revela fundamental para manter uma qualidade de vida adequada ao longo desse processo.

Sintomas

  • Alterações no ciclo menstrual;
  • Ganho de peso;
  • Fogachos (ondas súbitas de calor);
  • Diminuição da libido;
  • Sudorese noturna e dificuldade para dormir;
  • Secura vaginal;
  • Flutuações de humor;
  • Episódios de ansiedade e depressão.

 

Tratamento

O tratamento para enfrentar esse período da vida varia conforme as necessidades individuais de cada mulher. “Não há uma abordagem correta ou errada, mas sim aquela que melhor se adapta a cada paciente”, relata Canivilo que ressalta que pode haver o uso de reposição hormonal, anticoncepcional e até mesmo o uso de anti-inflamatórios.

Dicas para manter a qualidade de vida

É possível lidar com os efeitos da menopausa equilibrando a qualidade de vida seguindo algumas dicas.

  • Mantenha-se hidratada, consumindo uma quantidade adequada de água;
  • Vista roupas leves para garantir conforto e diminuir o calor;
  • Incorpore uma rotina regular de exercícios para fortalecer os músculos;
  • Evite o tabagismo e o consumo excessivo de álcool;
  • Escolha refeições mais leves e faça refeições com maior frequência;
  • Aproveite a luz solar para adquirir vitamina D.

“É fundamental lembrar que qualquer tratamento deve ser discutido com um profissional de saúde qualificado. Cada pessoa é única, e o uso de medicamento deve ser baseada em necessidades individuais, a saúde e conselhos médicos”, conclui a especialista.

Sobre Dra. Loreta Canivilo

Médica ginecologista, obstetra e ginecoindócrino Loreta Canivilo, é especialista em reposição hormonal feminina, estética íntima feminina e tratamentos de doenças do útero e endométrio.

A profissional possui diversas pós-graduações em instituições de referência como: Reprodução, Ginecologia Endócrina no Hospital Sírio Libanês e Medicina em Estado da Arte no Hospital Albert Einstein. É especialista em Nutrologia e Endocrinologia pela Faculdade Primum, referência em educação em medicina. Nas redes sociais, Loreta já possui mais de 30 mil seguidores - @draloreta, e oferece conteúdo explicativo sobre assuntos relacionados à saúde da mulher, gestação, reposição hormonal e implantes.

Loreta Canivilo também é idealizadora de projeto social, em parceria com o Instituto Primum – onde também ministra aulas -, que promove atendimento de saúde feminina gratuito a mulheres em situação de vulnerabilidade.

Postagens mais visitadas deste blog

D.P.A EM CURITIBA

PROJETO HERBERT DANIEL